Páginas

segunda-feira, 18 de junho de 2012

Golpe transforma concursos públicos em cabides de emprego

Passar em um concurso público não é fácil. E pode ficar praticamente impossível se as vagas já estão marcadas. O Fantástico mostra o golpe que transforma concursos em cabides de emprego. A fraude beneficia parentes e assessores de políticos em todo o país.  Repórter: Quantos concursos o senhor acha que já fez?  Dono de empresa: Uns 500.  Repórter: De cada dez concursos que o senhor fez, em quantos houve fraude?  Dono de empresa: Oito.  Repórter: Você me dá o gabarito antes? Dono de empresa: Fala baixo.  Dez milhões de brasileiros participam de concursos públicos a cada ano. E uma quantidade incalculável deles está sendo passada pra trás. Veja o que o Fantástico apurou: em todos os 26 estados do Brasil e no Distrito Federal, os ministérios públicos investigam algum tipo de fraude em concursos públicos. É maracutaia em todo o país! Só na Bahia, por exemplo, foram 36 casos de irregularidades em concursos. Em Mato Grosso do Sul, as questões de um concurso foram copiadas de uma prova feita antes, no Pará. E, no Maranhão, um analfabeto foi aprovado graças ao esquema montado por um secretário municipal, parente dele. Veja o que o ex-dono de uma empresa que fraudava concursos conta. Ele diz que agora se afastou dessa atividade: Repórter: Qual era o perfil dos candidatos beneficiados aprovados fraudulentamente? Ex-dono de empresa: Unicamente apadrinhados políticos da administração municipal. A maior parte das fraudes acontece nos concursos municipais. Prefeitos e vereadores contratam uma empresa para organizar a prova e indicam os candidatos que eles querem ver aprovados. “A esposa do prefeito passou em primeiro lugar, a secretária de educação passou em primeiro lugar no outro cargo, o secretário de administração passou em primeiro lugar em outro cargo”, conta uma mulher. Em Novo Barreiro, no Rio Grande do Sul, aconteceu um caso curioso: uma mulher, que tentou se beneficiar da fraude, mas acabou reprovada, resolveu denunciar o prefeito. “Ele chegou lá na minha casa e falou assim: ‘os meus eu tinha que deixar bem. Eu fiz o concurso dessa maneira porque eu não ia fazer um concurso para passar qualquer um’”, lembra. O prefeito Flavio Smaniotto não quis comentar a acusação. “Irmã do secretário de administração, sogra do secretário de administração, primo do secretário de administração”, diz. A fiscal de um concurso em Itati, no Rio Grande do Sul, notou que vários candidatos entregaram a prova quase em branco e mesmo assim foram aprovados. “Sobrinha do prefeito, sobrinho do prefeito, filho do prefeito”, conta. É a oficialização do cabide de empregos. “O perfil que nós identificamos é sempre de alguma forma ligado ao administrador. Ou por laços de parentesco, ou por afinidade partidária, político-partidária, ou até mesmo quem já presta serviços ao Executivo”, explica o promotor de Justiça Mauro Rockembach. Trinta e oito candidatos foram indiciados na cidade, mas a maioria deles continua a ocupar os cargos conseguidos irregularmente. Durante dois meses, com uma câmera escondida, o Fantástico gravou conversas com representantes de empresas que organizam concursos públicos. No início, o contato é cauteloso, como aconteceu com Marcos Perin, dono da empresa Inova.  Marcos Perin: A partir de hoje, não pode mais ter contato comigo, tá? Repórter: Não, não. Marcos: Contato zero. Os empresários não querem deixar pistas. Luiz Pereira de Souza é o dono da Ascon: “O importante é não falarmos por telefone. Telefone é brabo”. Mas depois de um certo tempo, a conversa com os empresários fica explícita. Clóvis Pauleti é sócio de Marcos Perin na Inova. Repórter: Você consegue aprovar três? Clóvis Pauleti: Dez vagas, três, eu consigo. Para algumas empresas, o repórter Giovani Grizotti se apresenta como assessor de uma prefeitura paranaense. Para outras, como assessor da câmara de vereadores de uma cidade gaúcha. A investigação foi feita com conhecimento tanto do prefeito quanto do presidente da câmara.

sexta-feira, 1 de junho de 2012

PARA DESESPERO DA SITUAÇÃO OPOSIÇÃO UNIDA EM CHAVAL

Os pré-candidatos de oposição estão fazendo um belo trabalho, Claudio Ricardo e Dr. Ismael conseguiram juntar nessa quarta-feira na pizzaria do Mundico, no Centro de Chaval, uma multidão que foram presenciar os dois nomes a pré-candidatos da oposição juntos. Dias atrás era impossível de ver por estarem como mesmo objetivo, depois de uma reunião com o Deputado Sérgio Aguiar e acertado que o nome para cabeça de chapa da oposição irá ser aquele que despontar bem na pesquisa que será feita pelo próprio Deputado. Só que os dois nomes da oposição estão unidos e isto já está deixando muita gente de cabelo em pé. Para aqueles que achavam que teriam uma campanha fácil por conta da divisão da oposição agora amarga uma união com propósito de acabar com as imoralidades na bela terra chamada Chaval.

MAIS UMA PARCERIA DE DESCONTOS PARA OS ASSOCIADOS DA APEOC DE CHAVAL

Os associados de APEOC de Chaval e de Barroquinha podem contar com descontos em muitos pontos comerciais de Camocim. E o Sindicato APEOC – Camocim dispõe de mais um parceiro, BOM JESUS TECIDOS. Além dos descontos já estabelecidos pelo a todos os clientes será concedido aos associados do Sindicato APEOC – Camocim: a) 10% (dez por cento) nas compras à vista pagas com dinheiro ou com cartão de débito. b) 5% (cinco por cento) de desconto nas compras com cartão de crédito parceladas em até 3 vezes. Caro Associado, em suas compras de produtos e serviços dê preferência aos parceiros de nossa Entidade. Não esqueça de apresentar a carteirinha (dentro da validade) no ato da compra. Veja a relação completa dos parceiros AQUI. Então, nosso blog deixou um link para você consultar permanentemente, consultando na coluna direita, em LINKS ÚTEIS, e clicando em:
LOJAS QUE OFERECEM DESCONTOS PARA OS ASSOCIADOS DA APEOC
Informações http://apeocdechaval.blogspot.com.br/